HORMÔNIO

Tanto os homens como as mulheres produzem níveis baixos de progesterona, um hormônio esteróide do córtex da supra-renal. A progesterona é importante, não apenas como hormônio, mas também como precursor dos estrógenos, dos andrógenos e dos esteróides adrenocorticais. Nas mulheres, durante a fase folicular do ciclo menstrual, os níveis séricos permanecem baixos. Após a ovulação ocorre um aumento significativo nos níveis séricos quando o corpo lúteo começa a produzir progesterona em quantidades crescentes, causando modificações no útero e preparando-o para a implantação de um óvulo fertilizado. Se ocorrer a implantação, o trofoblasto começa a secretar HCG (gonadotrofina cariônica humana), que mantém o corpo lúteo e a secreção de progesterona. Por volta do fim do terceiro trimestre a placenta torna-se o principal secretor e os níveis séricos continuam a aumentar. Se não ocorrer a implantação, o corpo lúteo degenera e os níveis de progesterona na circulação diminuem rapidamente, alcançando os níveis da fase folicular cerca de 4 dias antes do período menstrual seguinte. Em geral, o aumento dos níveis de progesterona indica a presença de gravidez, enquanto níveis baixos de progesterona necessitam de ecografia para confirmar a gestação.

Tempo de jejum: Aconselhável jejum de 4hs.

O antígeno prostático específico (PSA) é uma glicoproteína de cadeia única normalmente encontrada no citoplasma das células epiteliais que revestem os ácinos e os ductos da glândula prostática. O PSA é detectado no soro de homens com tecido prostático normal, hipertrófico benigno e maligno. O PSA é também útil na determinação de possível recorrência após terapia quando utilizado juntamente com outros índices diagnósticos. A medição de níveis de PSA sérico não é recomendada como procedimento de triagem para o diagnóstico do câncer porque níveis elevados de PSA também são observados em pacientes com hipertrofia prostática benigna. Entretanto, alguns estudos sugerem que a medição do PSA juntamente com o exame de toque retal e a ultra cenografia constituem um método de detecção do câncer de próstata melhor que o exame de toque retal isoladamente. Os níveis de PSA aumentam em homens com câncer de próstata e geralmente caem para a faixa não detectável após uma prostatectomia radical.

Tempo de jejum: Aconselhável jejum de 8hs.

Instruções de coleta:

- É necessário abstinência sexual de 2 a 3 dias.

- Não ter praticado exercício físico como: andar de bicicleta, andar de motocicleta, andar a cavalo, jogar bola, correr ou carregar peso nos últimos 2 dias.

- Não ter realizado exame de toque retal, uso de sonda uretral ou supositório nos últimos 3 dias.

- Não ter realizado ultrassonografia transretal nos últimos 7 dias.

- Não ter realizado colonoscopia ou retossigmoidoscopia nos últimos 15 dias.

- Não ter realizado cistoscopia nos últimos 5 dias.

- Não ter realizado estudo urodinâmico nos últimos 21 dias.

- Não ter realizado biópsia de próstata nos últimos 30 dias.

Obs: Para homens que já tenham realizado prostatectomia total (retirada da próstata) o preparo não é necessário, exceto jejum.

O eixo hipotálamo-hipófise-tireóide regula a síntese, liberação e ação do hormônio tiroidiano. O hormônio liberador de tireotrofina (TRH), segregado pelo hipotálamo, estimula a síntese e liberação de tireotrofina (TSH). Por sua vez, o TSH estimula a síntese, armazenamento, secreção e metabolismo da tiroxina (T4) e da triiodotironina (T3). O sangue contém T3 e T4, seja na forma livre, seja na forma ligada. Mais de 99% de T4 e T3 circulam na corrente sanguínea ligados a proteínas de transporte, enquanto menos de 1% permanece livre; na maioria dos casos, esta quantidade de hormônio não ligado ou livre é indício do estado de funcionalidade tiroidiana. O T4 e o T3 livres regulam o crescimento normal e o desenvolvimento do organismo, mantendo a temperatura corpórea.

Preparatório: Aconselhável jejum de 4hs.

A gonadotrofina coriônica humana (hCG) é uma glicoproteína com duas subunidades ligadas de forma não-covalente. A subunidade alfa é similar à do hormônio luteinizante (LH), hormônio folículo-estimulante (FSH), e hormônio estimulador da tireóide (TSH). A subunidade beta do hCG difere de outros hormônios glicoprotéicos da hipófise, sendo responsável por suas propriedades bioquímicas e imunológicas distintas. O hCG é sintetizado pelas células da placenta e está envolvido na manutenção do corpo lúteo durante a gestação. Ele já pode ser detectado uma semana após a concepção. Durante a gravidez, os níveis de hCG aumentam exponencialmente por volta de 8 a 10 semanas após o último ciclo menstrual. Por volta de 12 semanas após a concepção, a concentração de hCG começa a cair à medida que a placenta inicia a produção de hormônios esteróides. Outros fatores responsáveis por valores elevados de hCG são gravidez ectópica, ameaça de aborto e aborto recente.

Tempo de jejum: Aconselhável jejum de 4hs.

A dosagem de hGH é principalmente de interesse no diagnóstico do tratamento de várias formas de secreção inapropriada de hormônio do crescimento. As desordens clínicas de hiposecreção incluem nanismo e crescimento potencial não obtido. A hipersecreção é associada com gigantismo e acromegalia. Deve-se ter cuidado na interpretação clínica dos níveis de hormônio do crescimento. Estes variam durante todo o dia, dificultando a definição de uma faixa de referência ou a avaliação do estado de um indivíduo baseado em uma única determinação.

Tempo de jejum: Aconselhável jejum de 4hs.

Nas mulheres, o LH estimula a maturação final do folículo, a ruptura folicular e a ovulação. O LH humano é secretado pelas células gonadotróficas do lobo anterior da hipófise em resposta ao hormônio de liberação de gonadotrofina (GnRH) secretado pelo hipotálamo. Em um ciclo menstrual normal, o feedback negativo produzido pelo estradiol inibe a secreção de LH na fase folicular. À medida que o folículo se desenvolve (em resposta ao FSH), aumenta a produção de estradiol, determinando um aumento na GnRH e uma maior sensibilidade da hipófise ao GnRH. Um aumento de GnRH provoca uma produção maior de LH na fase pré-ovulatória (metade do ciclo) e a ovulação. Após este aumento, o LH é inibido durante a fase lútea por causa do feedback negativo da progesterona e do estradiol. Nas mulheres em idade fértil, as variações nas durações dos ciclos são causadas pelas variações na duração da fase folicular. Em mulheres na menopausa, os níveis de LH são elevados por causa da produção menor de estrógenos e progesterona ovarianos, que elimina o mecanismo de feedback negativo na hipófise. Nos homens o LH é frequentemente chamado de hormônio estimulante das células intersticiais e influencia a produção de testosterona pelas células de Leydig dos testículos.

Tempo de jejum: Aconselhável jejum de 4hs.

Nas mulheres, o FSH estimula o crescimento folicular e, juntamente com o LH, estimula a secreção de estrógenos e a ovulação. Após a ovulação, acredita-se que o FSH e o LH sejam responsáveis pela transformação do folículo rompido em corpo lúteo e influenciam a secreção da progesterona. A FSH humana é segregada pelas células gonadotrópicas do lobo anterior da hipófise em resposta ao hormônio liberador de gonadotrofina (GnRH) secretado pelo hipotálamo médio basal. Tanto o FSH quanto o LH são secretados de forma pulsátil; contudo, isso é menos evidente no FSH, talvez por causa da sua meia-vida mais prolongada na circulação. Os níveis de FSH em circulação variam em resposta ao estradiol e à progesterona. Em um ciclo menstrual normal, um ligeiro pico de FSH é observado por volta do fim da fase lútea (provavelmente desencadeado por uma queda no estradiol e na progesterona que eliminou o efeito de feedback negativo). Isto dá início ao crescimento e à maturação dos folículos ovarianos. Em seguida, os níveis da FSH caem e permanecem baixos por toda a fase folicular (devido ao feedback negativo do estradiol e da progesterona produzidos pelo folículo em desenvolvimento). Na metade do ciclo, a GnRH gera um aumento nos níveis de FSH. A função deste pico de FSH na metade do ciclo é desconhecida. Após este aumento, o FSH é inibido durante a fase lútea pelo feedback negativo do estradiol.

Tempo de jejum: Aconselhável jejum de 4hs.